Como escrever um poema

.
Não precisa de muito. Junte umas palavras, começo, assim, e deixe no início para chamar atenção. Advérbios caem bem.

“Exatamente assim que se começa”

Chamou atenção, precisa prendê-la. Brinque com um paradoxo.

“Sem exatidão”

Atenção retida, é preciso jogá-la pra outro canto do esperado. Surpreenda com assunto aparentemente desconexo do tema.

“Nascer não é morrer ao contrário”

Enunciado carece de explicação. Poeta não explica, expele – coloque o leitor à beira do abismo e unja-o com raro aforismo:

“Morrer é nascer à milésima potência”

Não o empurre ainda. Terminar quando tem que terminar é prosa. Poesia é contrário. Presente vem do inesperado – dispender beleza inesperada, isto é presentear.

“Mambembe, o fim se aproxima num cachorro manso à cata de migalhas”

E então você o empurra.  Do começo ao fim , o que se aguarda é queda. Vai durar três versos:

“Com a roupagem de um deus troglodita”

Fé surpreende o leitor desavisado, que agora mora em  seus versos. Permita-o morrer em paz.

“que tudo começa”

Permita-o morrer em paz!

“que tudo termina”.

.

(EN)

Anúncios

2 comentários em “Como escrever um poema

comente (;

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s